Skip to content

7 pilares do tráfego pago

Pilares do tráfego pago
William Miranda

William Miranda

Especialista em Gestão de Tráfego. Formado pela Universidade de Caxias do Sul e com mais de 6 anos de experiência de mercado.

O tráfego pago é um importante aliado, tanto para negócios em fase inicial, quanto para os já consolidados no mercado. É uma peça-chave em sua estratégia de marketing digital para tornar sua marca mais conhecida e aumentar as vendas.  Tráfego pago refere-se aos visitantes que chegam até um site, loja ou página por meio de anúncios publicitários em plataformas específicas e depende do investimento realizado para gerar resultado.  

Tráfego pago, definitivamente, é a gasolina do seu negócio online. Com ele, sua empresa, produto ou serviço poderá crescer potencialmente e gerar a escala necessária para se destacar no mercado. Por isso, separamos 7 perguntas básicas para você responder antes de investir em tráfego pago. São perguntas norteadoras para entender melhor o que é tráfego pago e visualizar o mundo de possibilidades existentes.

Objetivo | Qual é o seu objetivo com o tráfego pago?

Para responder essa pergunta é necessária uma análise minuciosa do seu negócio online. Precisa-se avaliar histórico de ações já feitas, ferramentas disponíveis e necessidades urgentes. É importante direcionar o orçamento e ações para o que, de fato, gera retorno para o seu negócio. Infelizmente, likes não pagam contas, compradores sim.

Investimento | Quanto investir?

Essa pergunta é complexa de responder. É necessário ter, pelo menos, uma média de investimento. Assim, tendo os objetivos claros, mais o investimento aceitável, é possível construir um plano de ações para alcançar os resultados. Talvez, o gestor de tráfego irá prolongar um pouco mais o plano se o orçamento for pequeno, mas tudo é uma questão de organização e planejamento. Vale lembrar que, em tráfego pago, a recorrência é melhor do que intensidade em muitos casos. 

Público | Qual é o seu público?

Existem vários públicos possíveis para serem trabalhados dentro do tráfego pago. É importante entender a divisão de cada público ou sua temperatura.

Público Frio

É aquele público que ainda não conhece seu negócio. Apesar de ter as características da sua persona, ainda sim, precisa ser impactado com um conteúdo relevante. Define-se como um público de topo de funil!

Público Morno

Diferente do anterior, esse público tem como característica já ter feito algum tipo de interação com a sua empresa. Seja no orgânico ou no pago, ele se configura como um público morno porque ainda precisa ser preparado para compra através de conteúdo relevante e apoiador para a tomada de decisão. Pode ser definido com um público de meio de funil.

Público Quente

Chegamos no público que já interagiu, já consumiu o conteúdo e já demonstrou interesse em comprar seu produto. Agora sim, uma oferta pode ser trabalhada. O último estágio do funil de compra é conhecido como fundo do funil.

Por isso, o público precisa ser analisado com muito cuidado e entendimento. E ainda, é importante entender que não existe público ideal e sim, público testado. Ou seja, o histórico conta muito aqui.

Estratégia | Qual estratégia usar?

Existem várias: conteúdo, inbound, remarketing, venda, posicionamento e outras tantas. Nesse estágio, várias perguntas já foram respondidas e por isso, talvez, seja mais prático de descobrir. Mas, de forma geral: reveja suas potencialidades e seus diferenciais para explorar da melhor forma a estratégia matadora.

Plataformas | Em quais plataformas investir?

Escolher em qual plataforma investir depende de vários fatores: a maturidade do seu negócio, do desenvolvimento online da sua empresa e até das características dos seus produtos. Hoje, as mais utilizadas são Facebook / Instagram Ads e Google Ads, mas temos Youtube Ads, Linkedin Ads, entre outras.

Investir em Facebook, Instagram ou Google Ads? Na verdade, ambas as plataformas são importantes para uma estratégia de marketing digital adequada, mas sabendo que pequenas empresas ou empreendedores têm, às vezes, orçamentos limitados, a solução é identificar características importantes do público.

Ou seja, o Google Ads na sua funcionalidade é mais passivo na divulgação. O anúncio será ativado quando algum interessado (lead) estiver buscando sobre o seu produto ou assuntos relacionados a esse produto. Por isso, subentende-se que seu público conhece o produto e suas características e funcionamento básico.

Já o Facebook/Instagram Ads é mais ativo na divulgação. Ou seja, ele consegue identificar características que o seu público tem e ativa os anúncios enquanto estão usando as redes sociais. Assim, se o seu público ainda não conhece seus produtos, mas tem determinadas características ou comportamentos, poderão ser ativados anúncios argumentativos para que tome a decisão.

Entendendo a maturidade do seu negócio, você vai conseguir identificar qual a melhor ferramenta a se usar. Não adianta investir em Google Ads, se ninguém conhece a sua solução. Não adianta investir em Linkedin Ads se você não conhece o público. E não adianta subir a sua base B2B no Facebook Ads.  

Plano Comercial | Qual campanha explorar?

Assim como negócio físico, é necessário ter um plano comercial para seu negócio online. Os argumentos usados no físico podem e devem ser usados no online. Pense que, às vezes, seu cliente só precisa de um pequeno estímulo para colocar o cartão no checkout e completar a compra.

Teste | Testar ações?

Testes, sejam de públicos, criativos ou copy’s são bem comuns no tráfego pago, pois existem inúmeras variáveis a serem avaliadas se uma campanha está alcançando sua potencialidade. Para tal, é necessário fazer testes e quebrar algumas argumentações.

Então, curtiu? Agora que você entendeu uma pouco mais sobre como funciona o tráfego pago, que tal começarmos a investir? Entre em contato conosco e te ajudaremos a montar a melhor estratégia para o seu negócio.